Marketing de guerrilha no esporte

Marketing de Guirrilha

O marketing de guerrilha traz na sua concepção o método escolhido pelas empresas que almejam destacar seus produtos de maneira pouco convencional.

Em resumo, àquela coisa de “pensar fora da caixa” para ter sucesso. E como essa “jogada” pode ser utilizada no marketing esportivo? A resposta para o questionamento veio na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano.

Leia também: O Marketing Esportivo e sua oportunidades

Imagina só que sua marca tem como palco para ativação o estádio do Pacaembu, duas torcidas nas arquibancadas, são-paulinos e vascaínos, e as principais mídias esportivas na cobertura do evento.

Pois bem, isso já caracteriza uma grande jogada para exposição. E esse foi o entendimento da Rappi, aplicativo delivery, que marcou um golaço.

Estratégia de engajamento

A Rappi criou um espaço novo em seu aplicativo com o objetivo de promover a compra de materiais esportivos. Essa nova possibilidade aos clientes levou o nome de Copinha 50.

Além disso, a marca sorteou 50 pares de ingressos para clientes. Alguns sortudos puderam acompanhar do gramado a premiação. E alguns dos torcedores, do lado de fora do estádio, ganharam bonés com o logo do aplicativo para usarem no Pacaembu.

MKT no campo

A inteligência no processo de exposição por parte da Rappi foi aplicada nos gandulas que trabalharam na partida. Todos vestiam o boné da marca e, desta forma, ampliaram a exposição.

Inovação

O marketing de guerrilha tem que trazer o conceito da marca. A Rappi informa que seu aplicativo entrega tudo. Desta forma a empresa resolveu mandar a sua mensagem com a utilização do principal produto do jogo, a bola.

Um motoboy, vestido com as cores da Rappi, entrou em campo com os dois times já à espera do início do jogo. Ele trazia uma mochila e, dentro dela, a bola do jogo. Foi uma questão de “mensagem aplicada”. Ou seja, a marca colocou em ação o seu produto, com o “entregamos tudo” dentro das quatro linhas.

Conclusão

As ações realizadas pela Rappi comprovam que o estudo da oportunidade pode trazer para a marca relevância, independente do âmbito. O esporte, neste caso, serviu para a marca, por meio do marketing de guerrilha, como maneira eficaz de apresentar tudo que norteia o seu produto. E utilizar o marketing de guerrilha no esporte pode ser uma saída barata para as marcas que desejam aparecer e atingir um número considerável de pessoas. Isso com o objetivo claro de ter novos clientes e, também, promover a fidelização.

Raony Pacheco é diretor da RP2 Sport Marketing, empresa especializada em ações de marketing e eventos esportivos para empresas, clubes e atletas. A RP2 Sport Marketing é uma empresa do grupo PressTexto Comunicação. Email –raony@rp2sportmarketing.com.br

Esses também podem interessar

Ah, quero ver todos